segunda-feira, 21 de outubro de 2013

Plano Nacional de Agroecologia e Produção Orgânica

 Apresentação

O Plano Nacional de Agroecologia e Produção Orgânica (Planapo) é uma política pública do Governo Federal criada para ampliar e efetivar ações para orientar o desenvolvimento rural sustentável. Fruto de um intensivo debate e construção participativa, envolvendo diferentes órgãos de governo e dos movimentos sociais do campo e da floresta, o Planapo é o principal instrumento de execução da Política Nacional de Agroecologia e Produção Orgânica (Pnapo). Mas não é só isso. O plano busca integrar e qualificar as diferentes políticas e programas dos dez ministérios parceiros na sua execução.

Objetivo

Articular e implementar programas e ações indutoras da transição agroecológica, da produção orgânica e de base agroecológica, como contribuição para o desenvolvimento sustentável, possibilitando à população a melhoria de qualidade de vida por meio da oferta e consumo de alimentos saudáveis e do uso sustentável dos recursos naturais.

Orientações

As atividades desenvolvidas no Planapo buscarão atender às seguintes diretrizes:
• Promover a soberania e segurança alimentar e nutricional e do direito humano à alimentação adequada e saudável;
• Promover o uso sustentável dos recursos naturais;
• Apoiar na conservação e recomposição dos ecossistemas modificados por meio de sistemas de produção que reduzam os resíduos poluentes e a dependência de insumos externos para a produção;
• Promover sistemas justos e sustentáveis de produção, distribuição e consumo de alimentos;
• Promover a valorização da agrobiodiversidade e dos produtos da sociobiodiversidade e estímulo às experiências locais de uso, conservação e manejo
dos recursos genéticos vegetais e animais;
• Ampliar a participação da juventude rural na produção orgânica e de base agroecológica;
• Contribuir na promoção da redução das desigualdades de gênero, por meio de ações e programas que promovam a autonomia econômica das mulheres.

Público Beneficiário 
Agricultoras e agricultores, assentadas e assentados da reforma agrária, povos e comunidades tradicionais, incluindo a juventude rural, e suas organizações econômicas, que queiram fortalecer ou modificar suas  práticas produtivas para sistemas agroecológicos ou orgânicos de produção.

Ações
As ações articuladas dos dez ministérios parceiros no Plano formam um conjunto de 134 iniciativas, distribuídas em 14 metas e organizadas a partir eixos estratégicos:
I. Produção;
II. Uso e Conservação de Recursos Naturais;
III. Conhecimento;
IV. Comercialização e Consumo. 
Saiba mais, baixe a Cartilha do Planapo aqui.  

Fonte: http://portal.mda.gov.br/portal/institucional/planapo

Nenhum comentário:

Postar um comentário